Equador

país na América do Sul
América do Sul > Equador

Equador é um país no noroeste da América do Sul. Vários lugares no Equador foram declarados Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, incluindo as Ilhas Galápagos e as cidades de Quito e Cuenca, que se encontram nos Andes, que correm de norte a sul através do país. Os Andes equatorianos também abrigam alguns dos mais altos vulcões ativos, como o Cotopaxi.

Ecuador in its region.svg
Bandeira
Informações básicas

RegiõesEditar

Amazônia
Andes
também conhecidos por Sierra
Litoral
ou Costa
Ilhas Galápagos
Arquipélago isolado famoso pela fauna singular e pelo trabalho de Charles Darwin.


CidadesEditar

  • Quito, capital do país, com um centro colonial bem preservado.
  • Baños, famosa cidade pelas águas termais, a avenida das cachoeiras e o vulcão Tunguragua.
  • Cuenca, cidade Patrimônio Cultural da Humanidade.
  • Esmeraldas, berço da cultura afroequatoriana, belas praias e manguezais.
  • Guayaquil, porto marítimo
  • Loja, a cidade colonial mais antiga do país
  • Manta, famosa pelas praias, museu arqueológico e o porto de cruzeiros.
  • Riobamba, ponto de partida do famoso trem para o Nariz del Diablo, e passagem para o Monte Chimborazo, o pico mais alto do país

Outros destinosEditar

  • Ilhas Galápagos
  • Parque Nacional Cotopaxi, onde fica o vulcão mais famoso do país, a 6004 m. de altitude, próximo à cidade de Latacunga
  • Cidade amuralhada inca de Ingapirca.
  • Otavalo, o maior mercado indígena da América do Sul.
  • Parque Nacional Sangay, tombado Patrimônio da UNESCO.
  • Reserva de Produção de Fauna Cuyabeno, uma paraíso amazônico de lagoas e floresta chuvosa.
  • Parque Nacional Yasuní, a mais biodiversa reserva florestal da Amazônia equatoriana.
  • Parque Nacional Machalilla, a maior reserva florestal do litoral do Pacífico das Américas. Entre junho e setembro chegam as baleias corcundas.

EntendaEditar

A República do Equador foi um dos três países que emergiram do colapso da Gran Colombia em 1830 (os outros são Colômbia e Venezuela). Entre 1904 e 1942, o Equador perdeu territórios em uma série de conflitos com seus vizinhos. Uma guerra de fronteira com o Peru que explodiu em 1995 foi resolvida em 1999.

A cultura dominante é definida por sua maioria hispânica mestiça e, como sua ancestralidade, é herança tradicionalmente espanhola, influenciada por diferentes graus de tradições ameríndias com elementos africanos.

Tropical ao longo da costa, tornando-se mais frio no interior em altitudes mais elevadas; tropical nas planícies da selva amazônica

O Equador tem uma área total de 283.520 km2 e é cortado ao meio pelo Equador, pelo qual é nomeado.

O país é um grande exportador de óleo, bananas, flores, frutos do mar e artesanato.

ChegarEditar

Para viajar ao país, sendo brasileiro, basta a carteira de identidade (ou passaporte válido). Portugueses precisam de um passaporte válido, bem como cidadãos de Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Angola e Moçambique, que também não precisam de visto prévio de turismo. Atestado de vacina contra febre-amarela e passagem de volta podem ser necessários.

De aviãoEditar

De barcoEditar

O Equador conta com dois portos marítimos comerciais: Guayaquil e Manta. Nesse último há infraestrutura para receber cruzeiros do mundo, como o Norwegian ou o Queen Mary II.

De carroEditar

Desde o Brasil pode ir até Foz do Iguaçu e desde lá cruzar a fronteira com a Argentina e dirigir pela cordilheira dos Andes: é uma aventura inesquecível. Depois vai pelo Chile e avança até o Peru. Percorrendo o litoral peruano chega-se a Aguas Verdes e desde lá pega a entrada da fronteira com o Equador. Para essa aventura você precisa de pelo menos um mês. Desde a fronteira até Quito, a capital, são 12 horas. Outro caminho é, a partir de Boa Vista, no Acre, seguir pela BR-317 até a divisa com o Peru, atravessando a ponte internacional entre Assis Brasil e Iñapari; dali seguir para Puerto Maldonado, depois Cusco, Lima e, a partir daí, seguir ao norte até chegar ao país.

De autocarro/ônibusEditar

De comboio/tremEditar

Não existe trem internacional.

CircularEditar

De aviãoEditar

De barcoEditar

3 Horas

De carroEditar

De autocarro/ônibusEditar

De comboio/tremEditar

São poucas as linhas, todas turísticas. As mais famosas são:

  • De Quito a Cotopaxi, num trajeto de 50 km, com saídas aos sábados e domingos, às 8h, com retorno às 14h. Preço médio: US$ 5.
  • De Riobamba ao Nariz do Diabo, também conhecido como o "trem mais difícil do mundo", uma colossal obra de engenharia do começo do século XX. É possível viajar no teto do trem, que passa por paredões de rocha bastante inclinados. Partidas às quartas, sextas e domingos, às 7h da estação de Riobamba, na Avenida 10 de Agosto com a rua Carabobo. Tel. 03 2961-909 e 2960-115. Preço médio US$ 20 ida e volta. Recomenda-se comprar passagem de véspera, na estação, entre 17 e 19h.

FaleEditar

Os equatorianos são muito respeitosos. Nos Andes as pessoas usam muito o "usted" (o senhor/ a senhora) quando não conhecem a alguém. No país é muito comum usar os diminutivos: cafecito (cafezinho); por favorcito (por favorzinho); casita (casinha); queridito/a (queridinho/a). Em lugar de usar o verbo dar, os andinos dizem: "¿Me puede regalar un poquito de cola?". Isso literalmente significaria (Pode me dar de presente um pouquinho de refrigerante?), no entanto na verdade quer dizer: "Pode me vender um refrigerante?". No Equador em geral se usa muito: Hola, ¿cómo estás? (Oi, como vai você?). No Litoral as pessoas são mais alegres e extrovertidas. Falam mais rápido o espanhol e também usam diminutivos. Embora usem muito "usted", também é mais comum usar o pronome "tú". No Litoral, principalmente em Guayaquil, as pessoas costumam se tratar de "Ñaños" (nhanhos). Exemplo: Hola, ñaño, ¿cómo estás? (Oi, nhanho, como vai?). "Ñaño" quer dizer irmão ou irmã, mas também é usado entre amigos ou parentes muito próximos.

VejaEditar

FaçaEditar

CompreEditar

  • Talhas de Madeira - Há um vilarejo chamado San Antonio de Ibarra, localizado ao norte de Quito famoso pelas talhas de madeira, especialmente de santos.
  • Têxteis - O Mercado indígena de Otavalo é famoso pelos tecidos indígenas com variados motivos decorativos. Embora você encontrará a feira todos os dias, a feira pricipal é celebrada nos sábados. A cidadezinha de Atuntaqui, no norte de Quito é conhecida pela indústria de roupa de muito boa qualidade. No povoado indígena de Salasaca, localizado nos Andes centrais do Equador, os têxteis são verdadeiras obras primas feitas de lã. Na comunidade indígena de Salinas de Tomavela há casacos de lã de alpaca com qualidade de exportação.
  • Couro - Cotacahi é um vilarejo localizado a duas horas no norte de Quito, cujo prefeito indígena já ganhou muitos prêmios internacionais pela sua gestão. Você deve ir lá e visitar as oficinas de produção de todo tipo de artigos de couro, como jaquetas, bolsas, mochilas, malas, cintos, botas, sapatos, chapéus e calças. Outro vilarejo indígena interessante é Quisapincha, localizado perto da cidade de Ambato, nos Andes centrais do Equador ,a 3h30 de viagem desde Quito. Tem maravilhosos produtos de couro.
  • Jóias de prata - O paraíso para as jóias fica nos povoados de Sangolquí, a 45 miutos ao suleste de Quito, e em Chordeleg, a 30 minutos de Cuenca.
  • Cerâmica - La Victoria e Pujilí são vilarejos famosos pela cerâmica decorativa e popular. Ambos povoados ficam na província de Cotopaxi a 2h30 de viagem desde Quito. No entanto outro paraíso para a cerâmica fina fica em Cuenca, cidade patrimônio cultural da humanidade.
  • Chapéus de palha "Toquilha" - Os internacionalmente famosos chapéus de Panamá são originários da cidadezinha costeira de Montecristi, embora Cuenca seja também outro centro produtor deles. É o principal produto de artesanato de exportação do Equador.

ComaEditar

  • Nos Andes devem-se provar as diferentes variedades de locros (sopas feitas com batatas, leite, queijo, mas dependendo da região tem outros aditamentos).
  • O churrasco no Equador é um prato de arroz com carne, salada, batatas fritas, ovo frito e abacate. O que os brasileiros chaman de "churrasco", no Equador se chama parrillada. * Empanadas de viento (empadas de farinha de milho recheias de queijo, carne ou frango). * Também há empanadas de morocho (feitas com uma variedade de milho chamado morocho recheias de carne).
  • A fritada é a carne frita do porco acompanhada de batatas cozinhadas, milho torrado, banana frita.
  • O hornado é o porco feito no forno com um molho especial que é diferente dependendo da cidade.
  • A bebida mais típica é a chicha, feita de milho fermentado.
  • No litoral tem os deliciosos ceviches (um prato pequeno de frutos do mar, geralmente camarão, marisco ou peixe, cozidos num molho de limão com tomate, cebola, é bem gostoso!).
  • As sopas do Litoral (sancochos) são diferentes. Os costeños comem muita mandioca (yuca).
  • Na província de Manabí há o arroz marinheiro e uma sopa especial chamada de viche de pescao (sopa de peixe).
  • Em Esmeraldas, berço da cultura negra do país, a comida é parecida com a baiana. Eles usam azeite de palma, mandioca e muito coco.
  • Não deixe de provar os encocaos (de peixe, caranguejo ou camarão).
  • Na Amazônia tem os ayampacos, que geralmente são de carne ou peixe, cozidos e envoltos numa folha.
  • A bebida mais típica é a chicha de mandioca fermentada.
  • Também há boa cerveja das grifes Pilsener, Biela e Brahma.
  • O único vinho produzido no Equador é Chaupi Estancia.
  • Há bons sucos de frutas. Devem provar a naranjilla.

Beba e saiaEditar

DurmaEditar

AprendaEditar

No litoral do Equador se encontrou o maior e mais antigo cemitério indígena do continente, com 10 mil anos de antigüidade. O enterro mais famoso é chamado "os Amantes de Sumpa", um casal que foi enterrado junto e cuja conservação é impressionante. Esta primeira cultura se chama Las Vegas e seus habitantes cultivaram por primeira vez nas Américas a abóbora, 9.000 anos antes do México e do Peru.

A cerâmica da cultura Valdivia é uma das mais antigas da América, com 6 mil anos. Aqueles indígenas inventaram as primeiras garrafas, criaram as mais antigas esculturas humanas de argila e construiram o mais antigo centro cerimonial do continente. Os maiores navegadores pré-colombianos eram os Mantenho-Huancavilca cujos barcos chegaram até o México e a Terra do Fogo.

TrabalheEditar

SegurançaEditar

SaúdeEditar

RespeiteEditar

Mantenha contatoEditar

Este artigo está delineado. Ele já segue um modelo adequado, mas não contém informações suficientes sobre o assunto.

Mergulhe fundo e ajude-o a crescer!